Posts Tagged 'opensource'

FreeCAD: Alternativa ao AutoCAD no Linux

Se procurarmos no Google, dá para ver que existem alguns programas de CAD para Linux. Mas, analisando as alternativas com cuidado, veremos que quase todos só são capazes de gerar modelos 2D. O FreeCAD é uma exceção à regra, contando com boas capacidades para gerar desenhos tridimensionais. O programa é de código aberto (GPL v2) e multiplataforma, construído com QT4, o que garante um visual bem agradável.

Um ponto interessante do programa é a sua compatibilidade com os arquivos do AutoCAD, de forma que você não vai ter que se preocupar com os arquivos do CAD que seus amigos enviam para o seu e-mail :). O programa suporta funções avançadas, como gravação de macros. Apesar do seu foco ser a modelagem 3D, o software também possui um módulo para gerar desenhos bidimensionais (como o QCAD).

Apesar de não estar nos repositórios do Ubuntu, existem pacotes DEB na página de download no Sourceforge.net (é um download de apenas 5MB!). Vale conferir.

Wiki do FreeCAD

Anúncios

Storage Device Manager

O PySDM (Storage Device Manager) é um gerenciador de pontos de montagem, permitindo alterar a forma como os dispositivos são montados no sistema. Ele permite definir graficamente o nome da partição, ponto de montagem e opções, como montagem pelo usuário, acesso, etc. Ele realiza as alterações no fstab sozinho. É, isso mesmo, edite o fstab pelo modo grafico! Se você quiser, ao invés de alterar o fstab, é possível criar regras dinâmicas para o udev. Tudo isso é feito por meio de assistentes simplificados. Um bom programa que ainda permite aprender sobre as opções mexendo com uma interface fácil.

Procure pelo pacote pysdm no gerenciador de pacotes de sua distro, não irá se arrepender.

Moblin: mais distros entram na onda

O Moblin é uma distribuição Linux desenvolvida pela Intel, com foco en netbooks. O Moblin andou impressionando, a nova versão (Moblin 2) possui uma interface muito bonita, em OpenGL, devido ao desempenho espetacular e ao boot em… 2 segundos! Não precisa nem de tela de splash assim… Suse, Xandros, Linpus (da Acer) e Ubuntu (imagem abaixo) aderiram a idéia. Inclusive, espera-se que o Ubuntu Moblin Remix substitua o Ubuntu Netbook Remix, que era um pouco pesado para netbooks.

Um ponto impressionante na história do Moblin é que a Intel, aliada histórica da Microsoft, está criando uma distro Linux. O Windows 7 vem aí, tentando invadir o mercado de netbooks. Vai conseguir? Creio que não. Por mais rápido que ele dê boot, não consegue nem bater o tempo do Ubuntu 9.04, imagine competir com algo que dá boot em 2 segundos? Sendo que a Intel conta esse tempo a partir da hora que você aperta o POWER, passando pela bios, GRUB, até chegar no desktop completo e usável? O desempenho do Moblin também bate o 7 fácil, principalmente em netbooks. O problema da Microsoft é achar que a mesma interface do Windows é boa para qualquer coisa. O Iphone é um sucesso porque a Apple criou uma interface nova. Ela não tentou espremer o Mac OS X em um smartphone. O Moblin tem uma interface pensada para o netbook. Isso vai elevar o patamar dos netbooks a um novo nível.

Para dar um gostinho, veja uma imagem do Ubuntu Moblin Remix:

Tremulous

Dessa vez, uma dica de jogo. Tremulous é uma mistura de FPS com jogo de estratégia em tempo real. Existem dois times, os humanos e os alienígenas, sendo que cada um tem suas habilidades: os humanos podem usar armas, construir equipamentos e pesquisar novas tecnologias, enquanto os aliens podem se mover em alta velocidade, atirar veneno, escalar paredes e evoluir para formas mais poderosas. Cada time deve construir armadilhas e construir estruturas. No caso dos humanos podem ser construídas bases médicas, centros de pesquisa e armamentos. Os aliens podem criar ninhos, armadilhas e estruturas biológicas para atacar os humanos. O objetivo final do jogo é extinguir a raça adversária. Cada vez que alguém é morto, ele renasce em seguida, usando um ninho (aliens) ou máquina (humanos) para isso. Se esses equipamentos forem destruídos, o time adversário não poderá ressucitar seus membros e caminhará para a extinção.

Tremulous só pode ser jogado em rede e conta com várias mods. Disponível nos gerenciadores de pacotes das principais distros.

KDE 4.2 – Usabilidade

Voltando ao tema KDE 4.2, vou falar sobre minhas impressões gerais sobre a usabilidade do ambiente gráfico. A versão 4.0 era simplesmente impossível de utilizar, com bugs constantes. A versão 4.1, embora utilizável, não fornecia uma experiência agradável. Creio que, apesar de alguns bugs menores, o novo KDE já é perfeitamente usável e fornece uma experiência excelente, devido ao extremo bom-gosto visual da equipe do KDE. O sistema agrada muito nessa área. Os efeitos 3D continuam pesados. Eu uso o Compiz no Gnome e rodo Nexuiz sem problemas. Ao abrir o KDE 4 (tudo na mesma máquina), o jogo apresenta lags, de modo que tenho que desligar os efeitos visuais para que rode como no Gnome. Acredito que com o tempo, o Kwin passe a ter um código otimizado como o do Compiz, evitando que ele afete o desempenho gráfico do PC. O Dolphin fica cada vez mais agradável de usar, com tags e pontuações. A suíte de aplicativos do KDE parece mais completa com novas versões de Kmail (que ainda parece inferior ao Evolution), Kopete, Amarok e outros. O plasma e as widgets estão bem mais práticos de usar, oferecendo acesso rápido a diversas funcionalidades.

Os conceitos de desktop semântico estão bem implementados. Seus arquivos não são mais simplesmente separados em pastas, podendo receber tags para agrupá-los e inclusive notas (de uma a cinco estrelas). Isso tudo é integrado ao buscador Strigi, caso você ative a indexação e ao Nepomuk, que é um sistema de organização de conteúdo baseado na tags e notas citadas e em metadados dos arquivos (como o título e o cantor de uma música em MP3). O futuro está chegando.

gThumb

gThumb é um visualizador de imagens semelhante ao EOG (Eye of Gnome), que vem incluso nas distribuições que usam esse gerenciador de janelas. O gThumb se destaca por incluir recursos de edição básicos, como redimensionar, recortar, converter formatos, entre outros. É possível balancear cores, brilho, contraste e até remover olhos vermelhos das fotos. Por ser muito parecido com o EOG, não chega a ser uma mudança radical utilizá-lo, o que permite que você continue usando o visualizador de imagens que está acostumado, mas com novo e empolgantes recursos. O programa também permite realizar operações em lote com imagens.

Okular

Continuando com a série de análises sobre KDE4.2, o tema agora será o Okular, o visualizador de documentos padrão do novo KDE. Esse programa é uma grande evolução em relação ao antigo KPDF. Os novos recursos são realmente impressionantes. Quando você vai passando as páginas dos documentos apenas clicando com o mouse e arrastando, você acaba limitado pelo fim da tela do PC. O Okular simplesmente transporta o cursor do mouse para a parte oposta da tela, para você poder continuar passando as páginas! A princípio isso foi o que mais chamou atenção. Mas existem recursos mais úteis, como a possibilidade de incluir anotações, carimbos e anexos em PDFs. Também é possível marcar e sublinhar texto, bem como riscar. O Okular faz parte da suíte KDE padrão, mas também pode ser usado no Gnome.