Posts Tagged 'kde'

Review: Amarok 2.2

No meu review sobre o novo Kubuntu 9.10, comentei sobre as novidades do Amarok, que são tantas que com certeza merecem um post exclusivo para apresentar a nova versão do player.

O Amarok sempre foi uma das pedras preciosas do KDE e do GNU/Linux. Nenhum outro player consegue igualar o Amarok na hora de organizar e reproduzir áudio. Porém, desde que passou para a nova versão 2.x, o player passou a apresentar uma série de bugs irritantes, especialmente ao indexar a coleção, que é justamente o ponto principal do player. Felizmente, a versão 2.2 representa o fim desses problemas. A coleção é indexada tão bem quanto antes e o player voltou a ser estável como uma rocha.

amarok 2.2

O novo Amarok finalmente ultrapassou as funcionalidades da versão 1.4. A 2.2 acrescentou duas capacidades incríveis ao melhor player do mundo: o Amarok mostra automaticamente videoclipes do Youtube da mesma banda que você está escutando, sendo possível reproduzi-los direto no Amarok e mostra um slideshow da banda com fotos do Flickr.

youtube no amarok

O miniaplicativo da Wikipédia voltou a ser como no Amarok 1.4, permitindo navegar na Wikipédia dentro do próprio player e selecionar se você deseja ver a página do artista, do álbum ou da música.

wikipedia no amarok 2.2

O gerenciador de capas está mais eficiente. Ao invés da Amazon, ele agora busca as capas dos álbuns no Last.FM, o que melhorou muito a taxa de acerto. A integração com o Last.FM está muito boa, com botões para adicionar a faixa diretamente aos favoritos.

As listas dinâmicas continuam por ali, permitindo deixar o Amarok selecionar faixas de acordo com as regras que você definir. É bem fácil definir um artista e mandar o Amarok tocar tudo que for parecido :D. Voltou a ser possível definir um banco de dados MySQL externo para o Amarok, o que costuma ser útil para pessoas com coleções realmente grandes, que fiquem lentas no banco SQLite do Amarok.

A interface é mais personalizável, apresentando o comportamento padrão do programas do KDE 4.  Basta clicar com o botão direito na barra superior e desmarcar a opção “Travar Layout” para poder arrastas  vontade as barras e painéis. É possível inclusive deixar ele com o visual do Amarok antigo, apesar do novo layout ser bem mais prático.

A playlist pode ser organizada em diversos subníveis, basta clicar no último ícone abaixo da playlist. Também é possível fazer isso clicando na parte de cima da lista. É possível ligar ou desligar o agrupamento, exibir controles de reprodução na faixa tocada, alterar a forma de agrupamento, etc.

amarok - editor de layout da playlist

A única coisa que falta é o gerenciador de fila do 1.4, que permitia reorganizar a fila de reprodução. A função de fila atual se resume à incluir/excluir faixas da fila.

Finalizando, o novo Amarok está sensacional: estável, cheio de novas funções e belíssimo. O Amarok 1.4 pode finalmente descansar e dar lugar ao seu sucessor, que é um player realmente superior. Vale conferir.

Tutorial: K3B – Parte 2

Hoje vamos criar um CD de áudio, que possa ser executado em qualquer aparelho de som ou CD player comum. Vale lembrar que um CD de áudio suporta apenas cerca de 80 minutos de músicas. O K3B é capaz de converter automaticamente diversos formatos de áudio para o formato dos CDs comuns. Para esse processo, certifique-se que possui o pacote “libk3b3-extracodecs”. Esse pacote pode ser obtido no Synaptic ou no gerenciador de pacotes de sua distro.

Criando o CD de áudio

Na tela inicial do K3B, clique em “Novo Projeto de CD de áudio”. Assim como no tutorial anterior, irá aparecer na parte inferior da tela o CD a ser criado. Você pode arrastar qualquer pasta (na parte de cima da tela) para lá. Repare que os arquivos de áudio serão filtrados e o resto será descartado. Os arquivos são convertidos para WAV e é possível acompanhar na parte de baixo da tela se o CD já encheu. O botão “Consultar CDDB” permite verificar o nome da música em uma banco de dados. Clicando com o botão direito na faixa é possível adicionar pausas entre faixas, renomear, entre outras coisas.Captura_de_tela-K3b - O Kriador de CD e DVD

Agora basta clicar em queimar e pronto! Lembre-se do tutorial anterior: a qualidade aumenta quando a velocidade de gravação é menor. Como você vai rodar esse disco em um CD player comum, selecione a menor velocidade possível.

Tutorial: K3B – Parte 1

Creio que todos conhecem o K3B, simplesmente o melhor software disponível para gravação de CDs e DVDs. Vou falar um pouco sobre o uso desse programa. Hoje vamos criar um CD de dados e depois gravar uma imagem ISO.

Essa é a tela inicial do K3B.

Captura_de_tela-K3b - O Kriador de CD e DVD (cópia)

Clique em “Novo Projeto de CD de Dados”. Como você pode ver, é possível navegar entre as pastas na janela do K3B. Quando quiser adicionar uma pasta ou arquivo ao projeto, basta arrastar para a parte inferior da janela. Quando você terminar, clique em “Queimar”.

Captura_de_tela-K3b - O Kriador de CD e DVD

O próximo diálogo permite configurar a gravação,  selecionando a velocidade (a qualidade da gravação é melhor em baixas velocidades) e a mídia (pode ser um CD ou você pode criar uma ISO). Use a aba imagem para definir o local onde salvar a ISO, caso opte por ela. Clique em “Queimar”.

Captura_de_tela-Projeto de Dados - K3b

Tudo pronto agora!

captura_de_tela-100-criando-arquivo-de-imagem-de-dados-k3b

Vamos gravar a ISO agora. Na tela inicial, clique em “Queimar Imagem de CD”. O seguinte diálogo irá aparecer:

Captura_de_tela-Queimar Imagem de CD - K3b

É possível selecionar o tipo de imagem, mas normalmente o modo de detecção automático é a melhor escolha (lembrando que no caso de imagens CUE/BIN, é o arquivo CUE que deve ser selecionado). O modo de gravação também pode ficar em automático, exceto para algumas mídias, como games, que exigem o modo DAO. Ao selecionar o arquivo de imagem, diversas informações aparecerão, sendo que a mais importante é o MD5 da ISO, que pode ser comparado com o fornecido pelo criador da imagem, para verificar se não há dados corrompidos. Clique em iniciar e o processo irá ocorrer como no primeiro tutorial.

Espero que tenham gostado, em breve volto com mais tutoriais do K3B.

KDE 4.2 – Usabilidade

Voltando ao tema KDE 4.2, vou falar sobre minhas impressões gerais sobre a usabilidade do ambiente gráfico. A versão 4.0 era simplesmente impossível de utilizar, com bugs constantes. A versão 4.1, embora utilizável, não fornecia uma experiência agradável. Creio que, apesar de alguns bugs menores, o novo KDE já é perfeitamente usável e fornece uma experiência excelente, devido ao extremo bom-gosto visual da equipe do KDE. O sistema agrada muito nessa área. Os efeitos 3D continuam pesados. Eu uso o Compiz no Gnome e rodo Nexuiz sem problemas. Ao abrir o KDE 4 (tudo na mesma máquina), o jogo apresenta lags, de modo que tenho que desligar os efeitos visuais para que rode como no Gnome. Acredito que com o tempo, o Kwin passe a ter um código otimizado como o do Compiz, evitando que ele afete o desempenho gráfico do PC. O Dolphin fica cada vez mais agradável de usar, com tags e pontuações. A suíte de aplicativos do KDE parece mais completa com novas versões de Kmail (que ainda parece inferior ao Evolution), Kopete, Amarok e outros. O plasma e as widgets estão bem mais práticos de usar, oferecendo acesso rápido a diversas funcionalidades.

Os conceitos de desktop semântico estão bem implementados. Seus arquivos não são mais simplesmente separados em pastas, podendo receber tags para agrupá-los e inclusive notas (de uma a cinco estrelas). Isso tudo é integrado ao buscador Strigi, caso você ative a indexação e ao Nepomuk, que é um sistema de organização de conteúdo baseado na tags e notas citadas e em metadados dos arquivos (como o título e o cantor de uma música em MP3). O futuro está chegando.

Okular

Continuando com a série de análises sobre KDE4.2, o tema agora será o Okular, o visualizador de documentos padrão do novo KDE. Esse programa é uma grande evolução em relação ao antigo KPDF. Os novos recursos são realmente impressionantes. Quando você vai passando as páginas dos documentos apenas clicando com o mouse e arrastando, você acaba limitado pelo fim da tela do PC. O Okular simplesmente transporta o cursor do mouse para a parte oposta da tela, para você poder continuar passando as páginas! A princípio isso foi o que mais chamou atenção. Mas existem recursos mais úteis, como a possibilidade de incluir anotações, carimbos e anexos em PDFs. Também é possível marcar e sublinhar texto, bem como riscar. O Okular faz parte da suíte KDE padrão, mas também pode ser usado no Gnome.

Celestia

Celestia é um programa que permite viajar através do espaço, com belos gráficos tridimensionais. É possível visualizar planetas, estrelas, galáxias e objetos como a Estação Espacial Internacional e o telescópio Hubble. O programa conta com funções de busca de corpos celestes e tours pelo espaço. Vale a pena conferir as belas imagens do Celestia. O programa possui versões em QT (KDE) e GTK (Gnome).

Amarok 2 – Playlists

Continuando com o assunto Amarok 2, vou falar sobre o novo sistema de playlists, que está bem melhor. No novo sistema você define critérios para selecionar músicas. Por exemplo, você informa que quer todas as músicas dos Scorpions lançadas entre 1980 e 1990, com nota maior que 8. Ele irá carregar músicas que atendam esses critérios na playlist, removendo as faixas já tocadas e adicionando novas. Ao inserir um novo critério, estão disponíveis dois algoritmos: Proportional Bias (uma certa porcentagem informada da lista atenderá ao critério) e Fuzzy Bias (a lista atenderá aproximadamente ao critério). Voltando ao exemplo: 50% da lista deverá ser dos Scorpions e 100% deverá estar entre 1980 e 1990. Com isso, metade da lista atenderá os dois critérios (Scorpions + década de 80) enquanto a outra metade será da década de 80, mas de qualquer outro artista. O segundo algoritmo seguirá um nível de aproximação informado para o critério.

O novo sistema de playlists é bem mais interessante e permite criar playlists inteligentes com critérios refinados.

Visite: Site Oficial

amarok-2_0_0-dynamic